Notícias

11/12/2015

CPRA terá mais técnicos e parcerias para harmonizar recursos naturais e produção

A Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento quer fortalecer a prática da agroecologia no Paraná como atividade de desenvolvimento sustentável e geradora de renda no campo. Na solenidade de dez anos de atividades do Centro de Referência Paranaense de Agroecologia (CPRA), comemorados nesta terça-feira (8), o secretário Norberto Ortigara anunciou o reforço do corpo técnico da instituição, com a alocação de novos técnicos agropecuários que serão contratados pela Emater-PR no início de 2016.

Paralelamente a essa contribuição, foram assinados três termos de cooperação com instituições parceiras, que irão potencializar as ações de estímulo à agroecologia paranaense. “O desafio é desenvolver sistemas de produção que harmonizem com a natureza em vez de dominá-la”, explicou o diretor presente do CPRA, João Carlos Zandoná.

Para o secretário, o Centro de Agroecologia tem conhecimento científico necessário para ensinar a produzir com competência, preservando o ambiente e os solos. “O Paraná, líder na produção agropecuária, tem consciência de que atingirá o limite na utilização dos recursos naturais e a consequência disso será o aumento dos custos de produção ao produtor”, alertou. Ortigara disse que o Estado já começa a direcionar ações e projetos de apoio para reforçar a agroecologia por meio do programa Paraná Agroecológico, instituído por decreto do governador Beto Richa e que será lançado no ano que vem.

TERMOS DE COOPERAÇÃO - O primeiro acordo foi firmado entre o CPRA e a Sanepar para promoção e divulgação de práticas e princípios agroecológicos e de reflorestamento das margens dos reservatórios do rio Iraí, de Piraquara II e de Miringuava. O acordo foi assinado pelo secretário Norberto Ortigara e pelo diretor de Meio Ambiente da Sanepar, Luciano Machado.

O termo de cooperação prevê a ampliação da produção agroecológica nas áreas de captação de água que abastecem Curitiba. Além de preservar as áreas e diminuir os custos de tratamento da água, a ação também vai propiciar o desenvolvimento do manejo e técnicas culturais e florestais, promovendo a ampliação da oferta de produtos orgânicos ao consumidor paranaense.

Outro termo de cooperação foi assinado pelo diretor presidente do CPRA, João Carlos Zandoná, e pelo diretor de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Amadeu Bona Filho. O termo de cooperação prevê ampliar a pesquisa, extensão, desenvolvimento sustentável, transferência de conhecimento, formação e treinamento de recursos humanos na área da agroecologia. E também a utilização recíproca de espaço físico, instalações e equipamentos de forma cooperada entre as duas instituições.

Também foi assinado acordo de cooperação técnica entre o CPRA e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus de Dois Vizinhos, no Sudoeste do Estado. Este acordo tem por objetivo o desenvolvimento do projeto de pesquisa científica com a utilização do bambu em sistema silvopastoril para verificar os efeitos da ambiência de vacas leiteiras. O acordo foi assinado por Zandoná e pelo diretor da UTFPR, Almir Antonio Gnoatto.

DEZ ANOS
- O Centro Paranaense de Agroecologia desenvolve ações de capacitação, pesquisa, ensino, comunicação e articulação entre pessoas e organizações nas áreas de produção vegetal integrada, bem-estar e produção animal, engenharia alternativa, recursos naturais e socioeconomia e comercialização. A capacitação ocorre por meio de cursos, dias de campo, encontros, visitas, seminários, oficinas e palestras realizadas na sede do CPRA, em Pinhais, ou em outras localidades.

Na produção vegetal integrada, um projeto prioritário é o de olericultura orgânica na Região Metropolitana de Curitiba, para proteção dos mananciais hídricos. O foco é atuar na pesquisa, capacitação e treinamento de técnicos, estudantes e produtores no emprego de práticas sustentáveis para a produção de alimentos, ricos em nutrientes, livre de resíduos e com menor custo de produção.

Também vem desenvolvendo trabalhos com plantas medicinais, condimentares, aromáticas e ornamentais para demonstrar ao agricultor familiar a diversidade disponível para gerar renda na propriedade, com produção de espécies para uso fitoterápicos.

Na área de bem-estar e produção animal foram desenvolvidos trabalhos na avicultura de base agroecológica, em integração com outras atividades como olericultura e fruticultura. E também na produção de leite em bases agroecológicas, cujos resultados vêm gerando referências para subsidiar trabalhos de pesquisas no Paraná e em outros Estados.

Na área de engenharia alternativa, as atividades se concentram nas bioconstruções. O projeto de uso sustentável do bambu está entre os que têm maior demanda, colocando o CPRA como referência nacional. Visa difundir o uso do bambu por meio da realização de oficinas práticas sobre a cultura do bambu, com construções de estufas e barracas para feiras agroecológicas.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em: www.pr.gov.br e www.facebook.com/governopr

Fonte: AEN - Publicado em 08/12/2015 17:40

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.