Notícias

05/12/2018

Seminário encerra curso “Homeopatia na Agroecolgia” 2018

por Marina Creplive


No último dia 22, o curso “Homeopatia na Agroecologia” promoveu um seminário de encerramento da turma de 2018. O encontro aconteceu no auditório do Colégio Newton Freire Maria (NFM), em Pinhais, reunindo alunos e técnicos da turma. Além disso, também estiveram presentes os seguintes representantes de entidades: Carina Biancard, coordenadora da Rede Ecovida e da Associação para o Desenvolvimento da Agroecologia (AOPA); Sérgio Augusto Guarienti, diretor administrativo do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER); Edson Blum, diretor do NFM; e Hamilton de Jesus Borges de Oliveira, presidente do Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA); contando com mediação do técnico Julio Bittencourt, também da EMATER.

a

O engenheiro agrônomo e homeopata João Nabuco foi quem iniciou a série de palestras. Com o tema “Homeopatia em diferentes agroecossistemas”, o profissional trouxe experiências da sua empresa, a Homeopatia Rural. Nela, são interpretados conceitos homeopáticos na ciência agronômica, levando ao campo a tecnologia da homeopatia de forma acessível e prática. “Buscamos levar a homeopatia alterando minimamente o sistema de cultivo”, afirma Nabuco.

q    aa

João Nabuco 

João ainda apresentou alguns princípios utilizados pela empresa no diagnóstico e tratamento das propriedades, tais como: totalidade de sintomas - definido por doença única e um medicamento simples por vez; doses mínimas; e o preceito de que semelhantes curam semelhantes. Além disso, apresentou alguns fatores de adoecimento, como: melhoramento genético; nutrição desequilibrada; compactação e adensamento do solo; solo com pouca atividade biológica; intoxicação; variações de clima; e desequilíbrio ecológico. Exemplos entre as plantas tratadas com homeopatia e as sem tratamento foram apresentados, destacando a melhoria na cor, volume, homogeneidade e vigor das primeiras.

Ainda na temática da homeopatia em agroecossistemas, o técnico Everton Poleiro, da Prefeitura Municipal de Terra Roxa, deu continuidade no encontro. Durante a palestra, foi destacada a importância do estudo exaustivo da área, que levará o profissional a possuir um repertório em mente durante suas consultas e trabalhos. Porém, Poleiro enfatizou que este repertório não pode ser a base total do diagnóstico, sendo utilizado apenas como um meio. A prescrição sempre de ser realizada por meio da matéria médica.

a    A

Everton Poleiro

Em sua palestra, Everton também ressaltou algumas premissas para um diagnóstico correto, como tratar o rebanho como indivíduo; conhecer o ambiente em que o animal está inserido; identificar o tipo de manejo; e reconhecer a susceptibilidade da raça tratada. Além disso, foram apresentados casos de doenças curadas com homeopatia e como se deu a indicação do remédio, passando pelos sintomas mentais, gerais e físicos.

Finalizando o evento, Marcelo Pedroso comentou um pouco mais sobre a homeopatia animal. Em suas experiências, o médico veterinário salientou a importância da observação. “A homeopatia é uma ciência, mas também uma arte: o que eu senti, vi e interpretei”, afirmou. Nesse sentido, Pedroso comentou a necessidade dos profissionais darem mais atenção aos sintomas mentais dos animais. Para ele, o comportamento do animal é uma das chaves para uma prescrição ideal. A palestra foi encerrada com mais alguns exemplos de experiências e seus desdobramentos.

aa    11

Marcelo Pedroso

Curso 2019

Para quem se interessou pelo curso, já estão abertas as pré-inscrições para a 4ª edição do “Homeopatia na Agroecologia”.  O curso é resultado de uma parceria entre o Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA), o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER) e a Associação para o Desenvolvimento da Agroecologia (AOPA).

Os encontros acontecerão duas vezes ao mês, durante 10 meses do ano de 2019 – a partir do mês de março. Este curso não tem caráter lucrativo, sendo o valor arrecadado investido na contratação dos palestrantes e na compra dos materiais a serem distribuídos.

Para podermos definir os valores a serem cobrados, estamos abrindo pré-inscrição – o que não garante a vaga final. Após organizarmos o evento, será encaminhada uma ficha de inscrição definitiva ao candidato(a), para confirmação da vaga.

A composição da turma será, preferencialmente, de 50% de agricultores, 40% de técnicos e 10% de estudantes/outros. Caso as porcentagens reservadas não sejam preenchidas para cada categoria, haverá um remanejamento conforme a lista de pré-inscrição. Importante: os pré-inscritos terão preferência nas vagas.

inscrições encerradas

Para qualquer duvida ou informação, entre em contato com Evandro Richter pelo email mrichter@cpra.pr.gov.br.

 AA

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.