Assentados do INCRA e quilombolas de Reserva do Iguaçu participaram de oficina sobre as Potencialidades e o Uso Sustentável do Bambu

Data 23/12/2015 | Assunto: Notícias



Visando dar um incremento na produção de verduras e legumes, tanto para melhoria da qualidade alimentar das famílias, quanto para venda no mercado local e o conseqüente acréscimo de renda, a Agência de Desenvolvimento Regional do Extremo Oeste do Paraná-ADEOP e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Reserva do Iguaçu buscaram parceria com o Centro Paranaense de Referência em Agroecologia-CPRA para realização de uma oficina sobre as Potencialidades e o Uso Sustentável do Bambu, com ênfase na utilização deste recurso natural renovável, para construção de estruturas importantes para auxiliar neste objetivo..

Além dos agricultores familiares do Assentamento Barreiro e quilombolas da comunidade Paiol de Telhas, participaram também técnicos da Secretaria de Agropecuária do município e da Copel/Projeto Florestas Ciliares.

Segundo Suzana Andria, técnica em agropecuária da ADEOP, que atende a 77 famílias do Projeto de Assentamento Fazenda Barreiros / PA-INCRA, a iniciativa partiu do diagnóstico elaborado pela equipe, onde os assistidos manifestaram interesse em migrar para o sistema orgânico de produção, em ambiente controlado.

Desenvolvido em dois módulos teórico-práticos, de 08 a 11/setembro e 05 a 08/outubro totalizando 64 horas, os instrutores do CPRA, Nailton de Lima e Valcir Inácio Wilhelm, abordaram aspectos sobre a morfologia, caracterização e .comportamento das espécies que ocorrem no Estado; métodos de propagação e plantio; colheita e tratamentos; as inúmeras aplicações da planta, especialmente em construções e soluções rurais. Como resultado prático, os agricultores e técnicos participaram ativamente da construção de uma estufa ecológica com 98 m², com estrutura totalmente em bambu, a qual foi instalada no Assentamento Barreiro, no lote de Ivanir de Paula Proença Oliveira, onde também funciona uma escola do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária - PRONERA. Para a agricultora, que também é educadora do programa, na modalidade EJA, “foi uma ótima oportunidade dos alunos participarem e terem informações úteis para seu cotidiano na lavoura, o que também faz parte da formação deles. A estufa vai servir de modelo para a comunidade e os alunos poderão até fazer algumas práticas de cultivo nela...”.   

Clairton Pedrozo de Quadros, presidente do Sindicato, que também participou da capacitação, manifestou sua satisfação pelo aprendizado e disse que o uso do bambu, embora extremamente simples, exige algumas técnicas e o curso trouxe a possibilidade para as famílias dela se apropriarem. “Não adianta uma tecnologia ser simples, de custo acessível aos agricultores familiares se esta não for divulgada e ficar com os técnicos nos centros de pesquisa..., por isso, agradecemos ao CPRA por esta oportunidade e vamos nos empenhar em replicar o conhecimento que adquirimos”..

Responsável pelo atendimento de 75 famílias dos Projetos de Assentamento (PA-INCRA) Paineira e Rodeio, o técnico em agropecuária Romildo de Oliveira Caldas destacou de extrema utilidade a barraca para feiras apresentada durante o curso, também confeccionada em bambu e em formato modular, o que a torna leve e de montagem muito prática, a qual possibilitou a UD (unidade demonstrativa) que será implantada no PA Paineira e atenderá as famílias na comercialização solidária no município, incrementando a feira Cooperativa da Reforma Agrária, que já acontece com famílias do PA Fazenda Barreiros, melhorando sua renda e viabilizando as UPFs (unidade de produção familiar).

Segundo o Sr. Luciano Antunes Nogueira, participante do curso e feirante, “...vejo possibilidades de comércio, amizades, conhecimento e uma renda extra na propriedade...” e comenta sobre a estufa do bambu “...enriquece a produção e abre um leque de possibilidades na produção diversificada”.

.Para Valcir, técnico agrícola do CPRA, o diferencial desta oficina que a tornou bastante rica do ponto vista didático, foi a possibilidade da realização das práticas no horto florestal da. COPEL, proporcionando aos participantes o contato e a identificação de diversas espécies, com disponibilização de material para as práticas de colheita e produção mudas. Enfatizou que "...quando nos referimos ao uso sustentável temos que considerar a necessidade e a importância de realizarmos também o plantio e o correto manejo do bambu e não somente utilizarmos a planta de modo extrativista. Este enfoque foi possível privilegiar no curso por existir material de propagação disponível aqui na área da usina Governador Ney Braga”.

.As peças de bambu utilizadas na construção da estufa durante a capacitação também foram fornecidas pela COPEL.

Nelson Francisco Quingerski, técnico florestal e gerente de divisão, responsável. pelo horto florestal da COPEL, também participante da oficina, disse estar orgulhoso, pois, vê que o esforço de décadas, coletando, resgatando e plantando diversas espécies de bambu nas áreas de influência da usina GNB, estar sendo recompensado, servindo de material didático e para multiplicação e uso nas comunidades rurais do município.

.Representando a Secretaria de Agropecuária do município, na turma do curso, Dirceu Roque Machado da Silva, disse da existência de uma parceria consolidada entre todas as instituições envolvidas nesta capacitação e que em nível de município, com apoio do Sebraetec, desenvolvem um projeto de estímulo e fomento a produção orgânica pelos cooperados da COOPAFI-RI (Cooperativa da Agricultura Familiar Integrada do Município de Reserva do Iguaçu) com ênfase na cultura do tomate, entre outras. Neste contexto, a capacitação sobre o uso do bambu veio contribuir com a formação destes agricultores, abrindo uma opção alternativa para construção de ambientes protegidos ou estufas de menor custo, pois, segundo ele "...temos famílias com menor capacidade de investimento e a possibilidade de uso do bambu torna possível a participação destas no projeto, além de abrir a visão das pessoas para outras utilizações da planta do bambu nas propriedades"..





Está notícia foi publicada no CPRA
http://www.cpra.pr.gov.br

Endereço desta notícia:
http://www.cpra.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=308